Dalila Teles Veras

Dalila Publicou mais de uma dezena de livros, nos gêneros poesia, crônica e o livro “Minudências”, um diário do ano de 1999. Participou de inúmeras antologias no país e no exterior. Possui trabalhos (artigos, ensaios e textos literários) publicados em jornais e revistas de todo o país e do exterior.

Assinou, de 1995 a 1999, a coluna semanal Viaverbo, no Caderno “Cultura & Lazer” do Diário do Grande ABC.

É filiada à União Brasileira de Escritores, entidade onde ocupou os cargos de Secretária Geral, Diretora e membro do Conselho, nas gestões de 1986/88, 1990/92 e 1994/96.

Fundadora do Grupo Livrespaço de Poesia (1982-1993) que manteve intensa atuação na divulgação da poesia e publicou 5 coletâneas. Foi uma das editoras da revista literária Livrespaço, ganhadora do Prêmio APCA – Associação Paulista de Críticos de Arte, como melhor realização cultural de 1993.

Animadora cultural, há mais de três décadas colabora na organização de cursos, seminários e congressos. É freqüentemente convidada a proferir palestras e participar de debates em Faculdades e instituições culturais, bem com a assessorar e criar projetos literários, como ciclos de debates, exposições, mesas redondas. Participou de dezenas de concursos como integrante do júri.

Participou, como convidada da UNESCO, do Colóquio Imprensa de Língua Portuguesa no Mundo, realizado em junho de 1991, em Paris, com a comunicação “A Imprensa Alternativa no Brasil como resistência cultural”. Coordenou dezenas de oficinas de criação literária, dentre as quais, “O Laboratório da Paixão”, na Oficina da Palavra, Casa Mário de Andrade, SP.

Participou do Projeto “O Escritor nas Bibliotecas” (1993/1994) da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, bem como do Escritor 96 – promovido pela mesma Instituição.

Eleita “Intelectual do Ano”, 1997, no Prêmio Capital, instituído pelo Jornal cultural O Capital, de Aracaju – SE.

Desde 1992 é diretora-proprietária da Alpharrabio Livraria e Editora, em Santo André, SP, referência cultural na região, onde promove constante atividade voltada para a difusão da cultura, das artes e o debate de idéias no Grande ABC. Dirige a Alpharrabio Edições, chancela que já publicou mais de 70 títulos e edita o jornal literário “Abecês”.

Dentro os inúmeros projetos sob a sua direção e produção, destaca-se o projeto “7 Anos 7 Cidades – Culturas”, comemorativo aos 7 anos da Livraria Alpharrabio (1999) que durante 7 meses dedicou um mês a cada uma das cidades da Região do Grande ABC, mostrando diversos artistas e discutindo aspectos da cultura de cada uma delas. Desse projeto participaram diretamente mais de 100 pessoas (artistas, produtores e pessoas ligadas à cultura regional), merecendo enorme destaque na imprensa e menção honrosa das Câmaras Municipais das Cidades de Santo André, Rio Grande da Serra e Ribeirão Pires.

Organizou, em parceria com Luzia Maninha Teles Veras, o livro “Alpharrabio 12 Anos – Uma história em curso” (Alpharrabio Edições, 2004, 346 pgs.), minucioso levantamento de mais de 500 atividades e inúmeras transcrições debates, todos desenvolvidos na Alpharrabio Livraria e Editora.

Colaborou, como curadora da área de literatura, do evento Plataforma ABC, em três diferentes edições, bem como do PALAVRAPONTOCOM, promovidos pelo SESC, unidade São Caetano do Sul.

Foi responsável por uma página literária nos Cadernos CEAPOG (Centro de Estudos de Pós-Graduação), publicação semestral do IMES – Instituto Municipal de Ensino Superior de , em 12 números daquela publicação.

Em 2000 a revista Livre Mercado outorgou-lhe o Prêmio Desempenho de Empreendedora Cultural.

Em 2004 a Câmara Municipal de Santo André outorgou-lhe o título de Cidadã Honorária.

Fonte: http://dalilatelesveras.blogspot.com.br/

12 comentários em “Dalila Teles Veras”


  1. […] Convidamos você para participar do lançamento “Estranhas formas de vida” da escritora Dalila Teles Veras […]


  2. […] de Vida‘ (Alpharrabio Edições e Dobra Editorial, 64 páginas, preço médio R$ 25), que Dalila Teles Veras lança hoje na Livraria Alpharrabio, em Santo André, são elementos díspares, alinhados […]


  3. […] 2013), sugere uma proximidade distanciada entre a poética dos fados em epígrafe e os poemas de Dalila Teles Veras, dadas as línguas distintas. De um lado, o sentimentalismo à flor da pele; de outro, o desfile […]


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: