José Campos e Sousa

José Campos e Sousa é um compositor e intérprete Português nascido em Lisboa, no dia 25 de Maio de 1947.

Começou a sua vida musical nos anos 60, influenciado pelas tendências da época: Beatles, Brassens, Ferré, Brel, Reggianni, Aznavour e também Bossa Nova.

Em 1975 optou por uma carreira a solo, interpretando fundamentalmente temas compostos por si sobre textos de grandes poetas portugueses: Camões, Pessoa, António Sardinha, Torga, David Mourão Ferreira, Vasco Graça Moura, Rodrigo Emílio, Fernando Tavares Rodrigues, José Alberto Boavida, Diogo Pacheco de Amorim e António Tinoco entre outros.

As suas composições musicais incluem

As séries de televisão “Veneno de Sol” e “Catavento”, sendo autor dos poemas da segunda e intérprete de ambas.

A partitura musical da Missa em Fado “Quando o Fado é Oração”, interpretada pelo Grupo In Nomine, do qual foi membro fundador.

A música para a peça “Judite, Nome de Guerra”, de Almada Negreiros, levada à cena no Teatro S. Luís, em Lisboa, por ocasião do Festival Internacional de Teatro, tendo sido também um dos intérpretes.

A partitura musical do espectáculo “Lágrima”, cantado pelo Grupo “In Nomine” no âmbito das celebrações dos 650 anos sobre a morte de Inês de Castro – “Ano Inesiano da Cultura”.

A partitura musical do Hino dos Fuzileiros que faz parte do reportório oficial da Banda da Armada.

Hoje a sua vida musical concentra-se em trabalhos temáticos sobre grandes poetas ou assuntos que lhe são especialmente caros: “Nossa Senhora na Poesia Portuguesa”, A Monarquia, “Portugal”, “O Amor”, “Lisboa”. A sua carreira a solo tem sempre presente a poesia de Fernando Pessoa, quer em espectáculos, quer na discografia.
Fonte:
Em 1985, por ocasião do cinquentenário da morte do poeta, editou “Em Pessoa”, em colaboração com Maria Germana Tânger e Luís Pavão, trabalho prefaciado por António Quadros.

Em Dezembro de 2008 editou um CD comemorativo dos 120 anos de Pessoa – “Mensagem À Beira-Mágoa”.

Jose Campos e Sousa esta presentemente a preparar um trabalho sobre a tradução de Fernando Pessoa do poema “O Corvo”, de Edgar Allan Poe.

No âmbito das comemorações dos 80 anos de David Mourão-Ferreira, levadas a cabo pela Câmara Municipal de Oeiras, produziu e interpretou um espectáculo dedicado ao poeta.

Fez parte do Coro de Música Polifónica Cappella Olisiponensis Basilicae Martyrum.

A mezzosoprano polaca Joanna Dobrakovska interpreta uma Avé Maria da sua autoria integrada no espectáculo “Avé Marias de todo o mundo”.

Fonte: wikipedia.org

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: