O TEMPO DE TODOS NÓS

Por Paulo Timm

Chegou o tempo de um novo ano. A renovação…Ele se estende no varal do futuro como um lençol branco e impecável.  Na verdade, umImagem texto Paulo Tim tecido quase invisível, no qual se poderá pintar qualquer coisa: um pássaro – a paz-; uma flor pisoteada – a guerra-;  uma mulher- a beleza-. Até o Nada…(Como queria Machado de Assis).  A cada dia iremos marcá-lo com os nossos movimentos. Aparentemente, tudo acontecerá sem grandes ritos de passagem. Simplesmente a nossa existência. Compassada. A cada passo, uma eternidade, cortada em fatias como quem corta em pedaços pequenos um problema imenso. Tudo alimentado pela esperança do próximo passo, num artifício tipicamente humano para ludibriar a mera passagem  do tempo. Ah! O homem… ! A eternidade é a medida do tempo sem compasso; o homem, este ser vil, a própria eternidade a cada passo…  Mas tudo se inscreverá em tinta indelével em algum lugar fora do próprio tempo. Fluirá pelo espaço e por ele navegará  como espectro sideral. Quase espiritual. Como diria o Poeta Maior:

Chegou um tempo que não adianta morrer

A vida apenas…

Sem mistificação

O tempo presente, o homem presente, o mundo presente…

(…)

A noite prossegue

O dia

Escorre uma coisa espessa

Se é sangue não sei

Duas cores se misturam

Formando um terceiro tom

Cujo nome chamamos aurora

Vamos, pois, à luta nesta nova Aurora, deusa do amanhecer.  Temos doze meses pela frente, completinhos, cheios de horas e dias. Momentos… Os bipolares os viverão entre os extremos da ira e da exaltação. Farão grandes planos que se desfarão à primeira dificuldade. Valha-nos o PROZAC…Os esquizóides pervagarão em fantasias, sem atentar para obstáculos reais, que transporão em sonhos. Ninguém é louco, entretanto, porque assim o deseja.  Os normais, que só existem à distância, se cansarão mas não entregarão os pontos até o último minuto de dezembro. Aí a Poesia reinventará o milagre da renovação e tudo começará de novo. E de novo…De novo… Então, cantarão, ingenuamente, no refrão do “Rei”:

Daqui pra frente tudo vai ser diferente
Você tem que aprender a ser gente
Seu orgulho não vale nada! Nada!

Melhor, pois, a humildade no momento para o próximo movimento…E nunca se esqueça: Dê um tempo, de vez em quando, respire fundo e carpe diem , como diziam os romanos, que ninguém é de ferro…

Explore posts in the same categories: Crônica, Poemas & Poesias

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: