Notas e comentários

Livro de Cyro de Mattos é publicado na Alemanha

“Zwanzig Gedichte von  Rio und andere Gedichte”  (Vinte Poemas do Rio e Outros Poemas) é uma coletânea do poeta baiano  Cyro de Mattos*  que foi publicada recentemente pela Projekte-Verlag,  em Halle, Alemanha, com a tradução de Curt Meyer-Clason. A coletânea é constituída de 49 poemas, extraídos dos livros “Vinte Poemas do Rio”, editado no Brasil e Portugal, “Canto a Nossa Senhora das Matas”, publicação bilíngüe, da Fundação Casa de Jorge Amado, com tradução para o alemão de Curt Meyer-Clason,  e ainda cinco poemas selecionados  dos livros infantis “O Menino Camelô”, “O Circo do Cacareco” e “Oratório de Natal”.  .

A  Bahia situada no sul do Estado, onde o autor nasceu e reside, serve de motivação aos poemas reunidos nesta coletânea de Cyro de Mattos publicada na Alemanha. Na primeira parte intitulada “Zwanzig Gedichte  von Rio” (Vinte Poemas do Rio),  o poeta revisita e transfigura o rio Cachoeira, que divide sua cidade natal em duas partes, quando então  havia nele  areeiros, pescadores, lavadeiras e aguadeiros. Faz falar  sua infância com  essa gente ribeirinha, usando para isso uma dicção líquida em uma espécie de recuperação do tempo perdido, não à maneira de Proust,  mas, como ressaltou o crítico e poeta Fernando Py,   “conciso na expressão e claro  nas imagens  que respondem pela eficácia poética do conjunto.”

Na segunda parte da coletânea, “Gesang Auf  Unsere Liebe Frau von  Den Waldern” (Canto a Nossa Senhora das Matas), percebe-se que vários poemas obedecem  a um projeto ecopoético, no sentido primordial em que nos insere no centro do mundo, e o  discurso do poeta premiado no Brasil e exterior (Prêmio  Nacional Ribeiro Couto da UBE/Rio, Prêmio APCA,  Prêmio Maestrale Marengo d’Oro, em Gênova, Itália) está  visceralmente relacionado com a natureza, cujos elementos vêm sendo gritantemente ofendidos pelo homem nos tempos atuais. A coletânea em alemão inclui,  em sua terceira parte, cinco poemas infantis,  sob a denominação “Kindergedichte”. Além disso traz foto e biografia resumida do poeta.

Cyro de Mattos enviou há  seis anos para Curt Meyer Clason primeiro  seu livro “Vinte Poemas do Rio” e a seguir “Cancioneiro do Cacau ”. Recebeu então do consagrado tradutor alemão  não só a tradução de vários poemas bem como  a opinião seguinte:  “Li e reli seus poemas com os sentidos encantados e  admiração pelo seu talento mágico.” Curt Meyer-Clason traduziu para a língua alemã, entre outros, Vladimir Nabokov, Robert  Lowell, Unamuno, Cervantes, Ortega y Gasset, Eça de Queiroz, Fernando Namora,  Pablo Neruda, Gabriel Garcia Marquez, Jorge Luís Borges, Juan Rulfo, Machado de Assis, João Cabral de Melo Neto, Guimarães Rosa, Ferreira Gullar, Carlos Drummond de Andrade, Jorge Amado e Adonias Filho.

Contista, novelista, poeta, cronista, ensaísta, autor de livros infanto-juvenis e organizador de antologias, Cyro de Mattos atualmente é o presidente da Fundação Itabunense  de Cultura e Cidadania.  Possui mais de uma vintena de prêmios literários respeitáveis, no Brasil e exterior. Tem dois livros de poesia publicados em Portugal pela Palimage Editores e outro na Itália, pela  Runde Taarn Edizioni, de Gerenzano (Varese). Está presente em mais de trinta antologias importantes  do conto e poesia, no Brasil, em Portugal, Alemanha, Rússia, Dinamarca, México e Estados Unidos. Foi agraciado com a Medalha do Mérito da Bahia. Membro do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia, Centro de Estudos Americanos Fernando Pessoa (SP), Academia de Letras de Ilhéus e Academia de Letras da Bahia. Em 1998 participou como convidado do III Encontro Internacional de Poetas, da Faculdade de Letras de Coimbra, em Portugal. De sua literatura disse Jorge Amado: “Cantor da terra e das águas. Cantor do amor. Pastor de diversos bichos. Cyro de Mattos, tão esplêndido poeta, tão esplêndido ficcionista.”

 *Cyro de  Mattos, Zwanzig Gedichte von Rio und andere Gedichte, Projekte-Verlag (www. projekte-verlag.de), Halle, Alemanha, tradução de Curt Meyer-Clason, prefácio de Graça Capinha, Doutora em Literatura Norte-Americana pela Universidade de Coimbra,  coleção Lyrik, 8,90 euros, 2009..

A cultura na rede mundial

Além das mudanças impostas pela rede mundial de computadores ao mundo dos negócios, alardeadas aos quatro ventos por publicações de todo o planeta, a “revolução” provocada pela popularização da Internet vai muito além dos ganhos de produtividade e das compras pela tela do computador. A possibilidade de, com poucos recursos, se criar um canal capaz de promover o debate e a troca de idéias sobre os mais variados assuntos abre caminho para iniciativas culturais e educacionais até então impensáveis.

Pois foi com base nessa crença que dois estudantes universitários apaixonados por literatura e com o conhecimento necessário para trabalhar e moldar o “mundo virtual” se propuseram a desenvolver um canal voltado à divulgação e disseminação da cultura. Foi assim que, em meados de 2000, nasceu o projeto do portal Mundo Cultural.

Disponível na rede desde fevereiro de 2001 (http://www.mundocultural.com.br), o portal tem entre seus objetivos a divulgação da literatura, tão negligenciada em nosso país, da cultura de um modo geral. Mais que um grande banco de dados, com obras para down load, análises literárias e ferramentas de busca, o canal serve ainda como um meio capaz de criar uma confraria de amantes da literatura e da cultura, interessados em divulgar seus trabalhos e trocar idéias.

Atualmente, o Mundo Cultural recebe um número cada vez maior de visitantes. Dezenas de e-mails de estudantes, com solicitação de material de pesquisa e perguntas sobre literatura, são recebidos e analisados diariamente. “A receptividade obtida pelo portal, sem qualquer investimento em divulgação, é o que nos faz prosseguir com esse trabalho”, revela Ronaldo Fazam, um dos idealizadores do projeto e hoje professor de Língua Portuguesa.

Para Lucas Tavares, co-autor do projeto, a liberdade trazida pela inexistência de qualquer vínculo institucional é um dos fatores capazes de explicar o sucesso do portal. Entre os principais serviços disponíveis no canal estão:

  • Down load de obras literárias;
  • Análises literárias exclusivas;
  • Banco de dados com a história da literatura;
  • Biografia de autores consagrados;
  • Canal para divulgação gratuita de trabalhos literários;
  • Museu virtual;
  • Colunistas exclusivos.

E a equipe trabalha para que novos serviços sejam implantados.
Para obter mais detalhes, envie um e-mail para mundocultural@mundocultural.com.br.

Fernando Pessoa, Salazar e o Estado Novo 

O livro de João Alves das Neves será apresentado em tardes de autografos em São Paulo e Santo Andre, oportunidades em que serão organizadas mesas redondas sobre “As idéias políticas de Fernando Pessoa” (esse é o texto, não tem anexo – incluir figura, copia da capa).

<!–[if gte mso 9]> Normal 0 21 false false false MicrosoftInternetExplorer4 <![endif]–><!–[if gte mso 9]> <![endif]–> <!–[endif]–>

Fernando Pessoa, Salazar e o Estado Novo – O livro de João Alves das Neves será apresentado em tardes de autografos em São Paulo e Santo Andre, oportunidades em que serão organizadas mesas redondas sobre “As idéias políticas de Fernando Pessoa” (esse é o texto, não tem anexo – incluir figura, copia da capa). 

Explore posts in the same categories: Livros & Autores

Etiquetas: , ,

You can comment below, or link to this permanent URL from your own site.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: